• Polícia 05/08/18 | 12:41:31
  • Jovem é assassinado no bairro Martello. Autor é preso pela PM
  • Vítima de 22 anos foi alvejada com um tiro no peito no bairro Martello
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • Fonte/Autor: Rádio Caçanjurê
  • Foto: Ilustração

Um jovem de 22 anos, identificado como Jataniel Gonçalves de Lima, foi morto na noite deste sábado, 4, em Caçador. O crime ocorreu por volta das 23h30 na rua Dinarte José Rodrigues, no bairro Martello.

Jataniel estava no pátio de sua casa quando foi alvejado. O tiro atingiu o peito do rapaz. Ele foi levado ao hospital por familiares, mas não resistiu e veio a óbito.

De acordo com testemunhas, o disparo que vitimou Jataniel foi efetuado de dentro de um carro de cor prata que passou em frente à casa.

Autor é preso

Horas depois a Polícia Militar, através do PPT, prendeu o autor do homicídio. Trata-se de W.R, 47 anos, que teria confessado o crime.

O crime

De acordo com o delegado Fernando Guzzi, da Divisão de Investigação Criminal (DIC), W.R se envolveu numa briga com familiares de Jataniel cerca de meia hora antes, próximo à casa desses familiares.

Nessa briga ele foi agredido de dentro do veículo por uma cunhada e um cunhado da vítima.

W.R foi para casa, tomou banho, jantou, se armou com uma espingarda sua. Voltou a pé para o mesmo local.

Lá ele efetuou o disparo possivelmente objetivando acertar o desafeto com quem brigou horas antes. Mas acabou acertando Jataniel, que estava morando em Caçador há 30 dias (veio com a esposa de Curitiba).

Acertou o peito da vítima. A munição transfixou, atingiu os pulmões e o fígado.

Jataniel foi atendido pelos bombeiros, mas morreu no hospital.

A Polícia Civil e Militar estiveram no local e a PM encontrou a camioneta de propriedade do suspeito, no bairro Mutirão.

"Nos dirigimos até a casa do suspeito e confirmamos que ele havia saído armado de casa antes do homicídio, a pé", conta o delegado.

Ele não estava em casa, sendo que a polícia fez buscas pelas imediações, até que por volta das 3 horas a PM o localizou e o conduziu até a delegacia de polícia.

Lá foram ouvidos todos os envolvidos, testemunhas, familiares da vítima e do autor. W.R confessou o crime.

Houve a lavratura de APF pelo crime de homicídio qualificado pelo motivo torpe (motivo reprovável, ou seja, vingança pela briga anterior), crime hediondo com pena de 12 a 30 anos.

comentários