• Geral 12/03/18 | 10:51:19
  • IFSC Câmpus Caçador conta com Rede de Monitoramento Contínuo
  • Estação permite observações para a determinação de coordenadas
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • Fonte/Autor: Departamento de Jornalismo IFSC​
  • Foto: Departamento de Jornalismo IFSC​

A Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo (RBMC) é um conjunto de estações geodésicas, equipadas com receptores GNSS de alto desempenho (posicionamento via satélite - GPS é um deles), que proporcionam, em tempo real, observações para a determinação de coordenadas.

A utilização da tecnologia GNSS (Global Navigation Satellite System) provocou uma verdadeira revolução nas atividades de navegação e posicionamento em todo o mundo. Os trabalhos geodésicos e topográficos passaram a ser realizados de forma mais rápida, precisa e econômica. À medida que as técnicas de posicionamento evoluem, diversas aplicações em tempo real e pós-processado têm surgido, tornando o papel da RBMC cada vez mais amplo.

Com isso, o Curso Técnico de Agrimensura do IFSC Câmpus Florianópolis elaborou um projeto de pesquisa para implantar estações da RBMC para um melhor recobrimento do estado, e assim contribuir para os profissionais realizarem levantamentos topográficos mais precisos, mais ágeis e mais baratos, repercutindo benefício econômico para toda a sociedade.

"Após a instalação dos vértices de Florianópolis, Imbituba, Lages, Araquari e Chapecó, tínhamos um "buraco" que onerava muito aos profissionais trabalharem na região de Caçador. Com isso, o Curso Técnico em Agrimensura, propôs ao IBGE a instalação de uma estação da RBMC no Câmpus Caçador. A direção do Câmpus Caçador imediatamente abraçou a ideia, permitindo uso de infraestrutura física, elétrica e lógica para que os dados fossem transmitidos em tempo real", avalia o professor Rovane Marcos de França, coordenador do curso técnico em agrimensura do câmpus Florianópolis.

comentários